La Excuela Ocupar la Política

Octubre 24, 2020. Por Ocupar La Política

WhatsApp para campanhas eleitorais

Em 2020, a Justiça Eleitoral proibiu o disparo em massa através de ferramentas de troca de mensagens, como o WhatsApp, em uma iniciativa de combate à desinformação durante o período da eleição. Candidatas e partidos estão autorizados a realizar envios de mensagens para seus eleitores e eleitores de forma não automatizada, ou seja, nada de robôs e listas de contatos comprados! Confira mais detalhes – e dicas para fazer o melhor uso da ferramenta – nesse material preparado pelo Dayse Porto. 

Gostaria que alguém pegasse seu contato, um dado pessoal, e começasse a te enviar conteúdo sem sua permissão? Não é legal, né? Todos os contatos devem ser fornecidos e autorizar o envio de mensagens pelo aplicativo, como WhatsApp, caso contrário, eles podem denunciar spam e seu contato pode ser banido da ferramenta, ou fazer uma denúncia por disparo em massa direta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

A preocupação com dados pessoais deve incluir toda a comunicação digital de uma campanha, uma vez que número de telefone, e-mail, gênero, idade, etc, são dados considerados pessoais . A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), em vigor desde 18 de setembro, determina que qualquer titular de dados pode solicitar retificação, saber quais foram as informações coletadas e até a exclusão do banco de dados.

Por isso, para que a estratégia de comunicação no WhatsApp seja bem sucedida, é muito importante que os contatos adicionados tenham dado consentimento para isso. Se você tem uma lista de pessoas interessadas em receber conteúdo sobre a campanha, elas devem adicionar seu contato para receber conteúdos da lista de transmissão, sendo essa uma forma de autorizar o envio. Se deseja reunir voluntários(as) em um grupo para articular ações específicas, é possível fazer um grupo para estimular conversas ou apenas disseminar conteúdos, mas todos devem autorizar a inclusão ou entrar por conta própria através dos links de grupo e/ou lista de transmissão.  

Em território digital, quem tem bom senso é rei 

Nas redes sociais, como Facebook e Instagram, toda a comunicação com sua comunidade acontece de forma pública, são “estádios abertos”. Já no WhatsApp, uma comunicação se dá em um ambiente fechado e íntimo, como se fosse o quarto de casa, por isso é importante ter boas maneiras e etiqueta ao “entrar” nesse espaço tão privado. 

Mesmo que sanções administrativas antecipadas na LGPD sejam aplicáveis ​​apenas a partir de agosto de 2021, respeite os princípios gerais da proteção de dados para evitar incomodar seus contatos e, de quebra, ganhe capital político com eleitores interessados ​​em direitos digitais por já estar se adequando à nova Lei. 

A recomendação básica para o uso do WhatsApp em campanhas eleitorais é : faça uma divulgação simpática e convidativa, produza conteúdo de interesse do público e tenha muito bom senso para não pecar por excesso e acabar se prejudicando com possíveis eleitores (as). 

  • Crie um link para divulgar seu contato e em divulgar sites, redes sociais e assinaturas de email. Use http://wa.me/55 + DDD + seu número. Exemplo: http://wa.me/5511999999999.
  • Crie uma mensagem padrão de “boas vindas” com linguagem própria à pessoa de seu público, explicando que tipo de conteúdo irá enviar, porque é relevante e peça para que salvem seu contato para continuar recebendo.

Depois que tiver uma permissão, cuidado para não ser invasivo (a): os contatos que autorizaram o envio de mensagens querem receber conteúdo de seu interesse e, se sentirem-se incomodados, você pode ser silenciado e bloqueado e toda a estratégia de comunicação na ferramenta vai por água abaixo. Respeite horários, não exagere nos disparos, não force a aceitação de opiniões e, lembre-se: se comunicar não significa apenas divulgar o conteúdo. Se uma pessoa responde sua mensagem, demonstração que tem interesse em seu conteúdo e campanha, então aproveite o momento e interaja para conquistar mais eleitores (as). 

Quem é o WhatsApp na fila do pão da eleição 2020 no Brasil?   

Ao considerar o uso do aplicativo na estratégia da sua campanha, é importante entender como os brasileiros se relacionam com a ferramenta. Além da troca de mensagens gratuitas, uma geração do WhatsApp está muito relacionada às ofertas das principais operadoras da telefonia móvel do país, que permite, por exemplo, o uso ilimitado do WhatsApp, mesmo após o fim do pacote de dados.

Pesquisas mostram que 58% dos brasileiros acessam a rede pelo celular e 27% exclusivamente via internet móvel. Quando a internet acaba, os usuários (as) não conseguem acessar um site de interesse, mas continua consumindo o conteúdo pelo aplicativo. Atualmente, 99% dos brasileiros tem o WhatsApp instalado, ou seja, a entregabilidade é garantida. Isso ajuda a explicar a alta taxa de abertura : uma mensagem enviada pelo WhatsApp com 70% de chances de ser aberta, um desempenho excelente. Veja alguns dados.

Formatos e linguagem: entenda o público para acertar o tom

A linguagem da comunicação pelo WhatsApp sempre vai depender do público da campanha, mas uma característica básica é que o contato seja pessoal e direto. Para isso, é possível usar texto, fotos, vídeo, mensagem de voz, emojis, GIFs e figurinhas. 

Ao abrir este canal de comunicação, deixe claro para o público com quem está se comunicando, pois se eleitores (as) entendreem que o contato e para falar diretamente com a candidata e isso não acontecer, haverá frustração. No rotina de disparos, adote o hábito de assinar como mensagens para diferenciar quem escreveu, por exemplo, “Equipe Vereadora Maria” ou “Maria Silva, candidata a vereadora”.

  • Formatação de texto: o aplicativo permite a formação de texto, o que ajuda muito na hora de destacar as informações mais relevantes da mensagem, como o apelo à ação , ou seja, a ação que deseja que o destinatário faça. Exemplo: acesse nosso site e veja a proposta completa. 
  • Mensagens de voz: é uma opção para humanizar conteúdo é gravar áudios, que permite visibilizar o tom e as emoções de quem está gravando, pelo uso da voz, sem depender da atenção imediata de quem recebe, como em chamadas. Na janela do chat, segure o ícone de microfone ? e arraste para cima, o relógio da gravação será iniciado. 
  • Emojis, GIFs e figurinhas: o aplicativo oferece um acervo de emojis, GIFs e figurinhas para ilustrar como comunicações. Na janela de chat, clique no ícone de emoji ? que dá acesso ao repositório, basta tocar no ícone correspondente para enviá-lo a uma conversa. Mas atenção: use com moderação para não poluir sua mensagem e tirar o foco das informações mais relevantes. 
  • Arquivos de mídia: uma boa forma de enviar conteúdos longos é usar o envio de anexos do WhatsApp. No ícone de clip?, você pode selecionar documentos de texto, fotos da galeria, áudios pré-gravados, como músicas, abrir uma câmera para fazer uma foto na hora e até a localização geográfica para enviar uma conversa.
  • Editor de fotos e vídeos: para personalizar seus conteúdos como, por exemplo, um logo de sua campanha, é possível editar imagens no próprio aplicativo. Dá pra cortar, girar, adicionar emojis, rabiscar, desenhar ou escrever textos de forma bastante simples. Na janela de chat, clique no ícone de câmera ?, tire uma foto ou escolha uma imagem da galeria. Quando a imagem registrada aparecer na tela, você verá ícones das ferramentas de edição do canto superior direito do celular. 

Lembre-se do acesso à internet: arquivos “pesados”, como vídeos e imagens em grande resolução, consomem mais o pacote de dados de internet móvel. Seu público se conecta majoritariamente via internet fixa ou móvel?

Use e abuse das possibilidades 

A facilidade também é uma vantagem do WhatsApp: é possível usar o aplicativo em dispositivos móveis ou no computador, através da Web do WhatsApp ou do próprio aplicativo para desktop

Dica : se sua campanha tem mais de um contato para gerenciar, é possível abrir o WhatsApp Web em guias anônimas e trabalhar em diferentes contas ao mesmo tempo.

  • Chamadas: além da função básica de troca de mensagens, o WhatsApp oferece chamadas de áudio e vídeo , o que significa que é possível conversar como ligado ao telefone ou em uma videoconferência, mas através de conexão de internet.
  • Marcação: é possível mencionar um contato em uma conversa em grupo digitando o símbolo “@” e escolha o nome do contato em seguida, que será notificado sobre a citação no chat.
  • Respostas direcionadas e encaminhamento: para responder uma mensagem específica de uma conversa, pressione a mensagem por alguns instantes e clique em “Responder” ⬅️, depois digite a resposta e clique em “Enviar”. Para encaminhar mensagens na íntegra de uma conversa para outra (até 5 conversas por vez), pressione a mensagem por alguns instantes e clique em “Encaminhar” ➡️, depois escolha o contato e clique em “Enviar”. 
  • Status: é possível criar mensagens em textos, fotos, vídeos e GIFs que desaparecem após 24 horas, os status. Para enviar e receber como atualizações de status, também é necessário que você e seu eleitor (a) tenham adicionado o número de telefone um do outro à lista de contatos. O recurso de estimulação de interação e permite responder a uma atualização de status de um contato. 

Falando com mais pessoas

Para aumentar o alcance, os recursos mais utilizados na ferramenta são a criação de grupos e os disparos para listas de transmissão, com um limite de até 256 contatos cada. A principal dica é segmentar os grupos e listas de acordo com seu público, por exemplo, uma lista de transmissão com conteúdo para apoiadores (as) da campanha ou um grupo com a militância da campanha. 

Em grupos: mais indicados para comunidades menores e mais próximos, como equipe, doadores (as) e mobilizadores (as) da campanha. Para evitar dispersão, é bem importante ter um objetivo definido e que todos (as) saibam um padrão do grupo. Uma dica organizativa é deixar a intenção do grupo em evidência já no nome, por exemplo, “Campanha Maria Silva – Comunicação e Cultura”, “Campanha João Silva – Juventude e Periferia”, “Campanha Ana Silva – Direito à Cidade e Mobilidade”. 

Se a ideia é disseminar informação e não promover debates, limite o envio de mensagens apenas para administradores do grupo e elenque as regras “de convivência” do grupo, que devem ser reenviadas com a entrada de novos membros. Se uma proposta para promover conversas, é preciso ter uma pessoa da equipe responsável por moderar o conteúdo do grupo, o que significa estimular uma interação dos participantes, zelar pelo cumprimento das regras e, se necessário, aplicar como punições, como expulsão. 

Dica: fazer grupos de discussão política com lideranças locais e comunitárias, pessoas da equipe da campanha e militância é uma boa estratégia para manter os apoiadores (as) engajados na campanha, desde que todos (as) foram anteriores e posteriores autorização a Inclusão no grupo.
 

Em listas de transmissão: diferente do grupo, a comunicação aqui é  personalizada, então escrever como se está falando com apenas uma pessoa e nada de “Olá, pessoal!”. Os participantes da lista não têm como saber se a mensagem foi enviada para outras pessoas nem têm acesso aos outros contatos da lista. Se alguém responder às mensagens da lista, vocês serão direcionados para uma conversa privada.

Mas lembre-se: os contatos devem adicionar seu contato para receber mensagens, uma forma de autorizar a inclusão na lista de transmissão.

WhatsApp Business: como utilizar? 

Com a geração do aplicativo, empresas definidas a lo em suas estratégias comerciais e, assim, surgiu o WhatsApp Business , uma versão “profissional” para quem deseja separar atividades de trabalho de conversas pessoais, reservando um chip apenas para isso. Ter ao menos dois números reservados para a comunicação de uma campanha é o ideal, caso um desses números sofra algum tipo de ataque e / ou bloqueio. É possível acessar baixando o aplicativo e / ou através do WhatsApp Web comum, basta escanear o QR Code da conta que usa com o WhatsApp Business no celular.

  • Personalizando a conta: a conta comercial permite que você controle informações sobre sua campanha no perfil e no status. É muito importante usar esses espaços para dar mais detalhes e outras referências da campanha para eleitores (as), como por exemplo site, endereço de comitê, e-mail, redes sociais, etc. Na foto do perfil, escolha um imagem que represente bem o (a) candidato (a) e personalizar com identidade visual da campanha. 
  • Respostas rápidas e automatizadas:  é possível salvar mensagens sentidas com frequência e reutilizá-las para responder como perguntas mais comuns que receber. Outras possibilidades são o envio de mensagens automáticas enquanto ausente , de acordo com o horário de funcionamento que colocar no seu perfil, e como mensagens de saudação , que são disparadas a pessoas que entraram em contato pela primeira vez ou depois de 14 dias de inatividade na conversa entre vocês.
  • Tags: para facilitar a organização, o aplicativo oferece etiquetas para categorizar como conversas por tipo de conteúdo ou segmentar por públicos, como, por exemplo, “apoiadores / juventude”, “voluntários / mobilização” ou “feminismo e LGBTs”, “agenda da candidata ”.
  • Métricas: as estatísticas do fluxo de mensagens são uma das principais vantagens do aplicativo, funcionalidade que ajuda a conhecer seu público e acertar o tom na comunicação. É possível mensurar alguns dados de envio e leitura de mensagens, como foram transmitidos, entregues e lidas.
e-mail

¡Quédate ahí!

Recibe novedades de la escuela OP en tu email